sexta-feira, 24 de abril de 2015

acontecer. o. sol.

hoje eu abri meu porão
não tinha só sujeira, não:
tinha teia de aranha nos cantos
e os monstros todos no balcão.

abri uma gaveta e achei
lá dentro todo teu amor

(cuidei ao botar os pés no chão
pra não pisar no rancor)

e então, eu quis sair de lá
e os monstros foram me levar
pra cama, onde eu tive que ouvir
canções de ninar
feitas de silêncio

(pra esvaziar
a mente de tanto sonhar)

mas o dia ainda vai ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário