segunda-feira, 5 de maio de 2014

Poema de Absolvição

O tempo que separa
esses dias de abismo
eu já não o conheço
eu já não os conheço

As horas se penduram umas nas outras,
os dias uns nos outros,
e os meus esforços hercúleos
são pra lembrar de um amontoado de coisas de ontem.

O tato que eu tinha
pra saber das verdades
não contou história desde que percebi
que conseguia dormir sem me contar mentiras.

Porque nas profundezas
de tudo o que faço existir,
eu sou o bicho que vem me pegar
quando escurece.

Porque quando sinto o monstro
escondido debaixo da minha cama,
eu nunca sei qual parte de mim tenta dormir
e qual parte se esconde.

E eu posso até ser assim,
ruim comigo mesma,
mas o mundo já me maltratou mais
e eu nem tive do que reclamar.

Se pensar fosse pedir comida
e lembrar fosse ganhar pão velho,
eu acho que passava fome
pelo resto da vida.

Um comentário:

  1. a dança das palavras em baile de formação das escritas.

    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir