sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

A vaidade dos meus males

Tem um buraco muito grande
Dentro de mim.
Ele serve pra guardar
Tudo o que é ruim.

A constatação
De todas as minhas análises psíquicas noturnas
É de que nesse meu buraco
Não cabe mais nada.

Eu até tenho cogitado a hora
De abrir um buraco
No buraco
E botar tudo pra fora.

Porque entre o vazio
E o preenchimento desgraçoso,
Eu sinceramente prefiro
O vazio.