sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Versinhos de desgosto.

O céu que se ilumina com alguns raios,
As senhoras que se iluminam com algumas pérolas,
Não me chamam mais atenção.
O sol quase não nasce,
Quando eu fico a pensar,
Se devo rir ou chorar.
As flores não desabrocham,
Se o sol não nascer.
E se o vento não sussurra mais,
Não tem nada que eu possa fazer.
Os meus sapatinhos,
Ficaram com a sola desgastada.
A tinta que eu usava pra colorir,
Essas coisas da vida,
Acabou.
Como vou poder agora,
Pintar de rubro meu céu,
De verde meu chão,
E meus pecados de azul?
Ando racional demais.
Tenho tido a impressão,
De que tenho que consertar,
O que vem a me chatear.
Tenho tido vontade de queimar,
Essas palavrinhas simplórias que eu costumo rabiscar,
Desde que descobri que elas
Não me querem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário