quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A Cineasta Falida

Hoje acordei e tive a sensação de que vivo num filme.
Projeto todas as minhas cenas genialmente imperfeitas e incrivelmente mirabolantes, então, na hora de gravar perco completamente meu charme e me tenho como diretora frustrada. Como uma Alice no país das ideias, as perdendo na dimensão criativa e paralela que deve se encontrar em alguma passagem secreta desse cenário imenso.
Não sou uma boa estrela de cinema; Não sei dispensar os escândalos interiores exageradamente mínimos e não públicos como também as fofocas perante minha não plausível e um tanto desagradável sinceridade impulsionada. É muito chato ser o centro de mim.
Quando faço minhas imagens de ação fico completamente apavorada, vacilante, e por algum milagre dos céus, destino ou qualquer outro mistério indiscutível, dá certo.
Pois é, sortuda pra uma errante.
Acho que por enquanto só aguento uma comédia romântica com meu príncipe imaginário que mais se parece com um boneco de pano vivo. Quando encontro tudo negativamente auspicioso toda aquela vitalidade derrete escorrendo pelos meus dedos, gelada. Logo, me encontro dissipada no chão.
Tenho dom pro drama. Pobre estrela de cinema.
Ainda bem que sou a diretora extremamente centrada e tenho tudo sob total controle. A atriz cai, eu a levanto e então seguimos nosso baile sem rodeios.
Hoje acordei e tive a sensação de que tudo é muito simples.

Nenhum comentário:

Postar um comentário